NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS ORIGINAIS

A revista Travessias Interativas é dividida em três seções: a primeira publica artigos de mestres e doutores; a segunda, artigos de iniciação científica; e a terceira, resenhas de obras publicadas nos últimos cinco anos. Todos os textos devem ser originais e podem ser submetidos em português, inglês ou espanhol.

Apresentação: Os trabalhos (artigos) devem ser enviados exclusivamente por e-mail (apenas em .doc), para travessiasinterativas@yahoo.com.br, texto em Word for WINDOWS, versão 6.0 ou mais recente, corpo 12, fonte Times New Roman, espaçamento 1/5, margens 3 cm.

Estrutura: Obedecer à seguinte sequência: Título; Título em inglês; Autor(es) (nome completo, com o último sobrenome em maiúsculas); Filiação científica do autor (indicando em nota de rodapé: Departamento, Faculdade ou Instituto, Universidade, Cidade, Estado, País e e-mail; se for bolsista, deverá indicar); Resumo (máximo de 200 palavras); Palavras-chave (até 5 palavras); Resumo e palavras-chave em língua estrangeira; Texto; Referências (somente obras citadas no texto). Título (inclusive em língua estrangeira) deve vir em caixa alta, fonte 12 e negrito. O resumo deve vir em fonte 11 e espaço simples. Se o texto for escrito em outro idioma que não seja o inglês, o resumo e as palavras-chave em língua estrangeira deverão estar em inglês. Entre a palavra “Resumo” e o resumo propriamente dito não há mudança de linha; o mesmo se aplica para as palavras-chave. Os artigos devem ter entre dez e vinte páginas. As resenhas devem ter entre três e cinco páginas.

Usar negrito para ênfase e itálico para palavras em língua estrangeira. Títulos de obras, no corpo do texto, devem aparecer em itálico, com letra maiúscula apenas no início da primeira palavra (ex.: O demônio da teoria), e capítulos, títulos de poemas, ou partes de uma obra devem ser apresentados entre aspas. Nas “Referências”, os títulos de obras são grafados em negrito, com letra maiúscula apenas no início da primeira palavra (ex.: HUGO, Victor. Do Grotesco e do Sublime (Prefácio de Cromwell). Trad. Célia Berretini. São Paulo: Perspectiva, 1988).

Referências: Devem ser dispostas em ordem alfabética pelo último sobrenome do primeiro autor e seguir as normas da ABNT. O espaçamento deve ser simples, com fonte 12. Alguns exemplos:

• Livro

PAZ, Octavio. Os Filhos do Barro. Trad. Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

• Capítulo de livro

BOSI, Alfredo. Imagens do Romantismo no Brasil. In: GUINSBURG, J. O Romantismo. São Paulo: Perspectiva, 1993. p. 239-256.

• Dissertação e tese

ANTONIO, Patrícia Aparecida. Do pêndulo poético: poesia e crítica em Murilo Mendes e Frances Ponge. 2016. 230f. Tese (Doutorado em Letras/Estudos Literários) – Universidade Estadual de São Paulo, Araraquara, São Paulo.

• Artigo de periódico

ANDRADE, Alexandre de Melo. Álvares de Azevedo e Friedrich Schiller: possíveis diálogos entre a literatura e a filosofia do Romantismo. Revista Crioula: Revista Eletrônica de Alunos de Pós-Graduação – Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa / USP. São Paulo, v. 1, n. 5, p. (se houver), 2008.

• Artigo de jornal

MOISÉS, Carlos Felipe. As ‘libertinagens’ de um moço bem-comportado. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 18 mar. 2001. Caderno 2/Cultura, p. 5.

• Trabalho publicado em anais

PINTO, M. C. Q. de M. Apollinaire: permanência e transformação. In: XI ENCONTRO NACIONAL DA ANPOLL, 1996, João Pessoa. Anais... João Pessoa: ANPOLL, 1966. p. 216-18.

• Entidade como autor:

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catálogo de teses da Universidade de São Paulo – 1992. São Paulo, 1993. 467 p.

• Auto não mencionado:

DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993. 64 p.

• Publicação On-line – INTERNET

TAVES, R. F. Ministério corta pagamento de 46,5 mil professores. O Globo, Rio de Janeiro, 19 maio 1998. Disponível em http://www.oglobo.com.br/. Acesso em 19 maio 1998.

Citação no texto: O autor deve ser citado entre parênteses pelo sobrenome, separado por vírgula da data de publicação (FREIRE, 1984). Se o nome do autor estiver citado no texto, indica-se apenas a data entre parênteses: Freire (1984) afirma... Quando for necessário especificar página(s), esta(s) deverá(ão) seguir a data, separada(s) por vírgula e precedida(s) de p. (CANDIDO, 1999, p. 543). As citações de diversas obras de um mesmo autor, publicadas no mesmo ano, devem ser discriminadas por letras minúsculas após a data, sem espacejamento (CANDIDO, 1999a) (CANDIDO, 1999b). Quando a obra tiver até três autores, indicam-se todos eles, separando os sobrenomes por ponto e vírgula (LEENHARDT; PESAVENTO, 1998), e quando tiver mais de três, indica-se o primeiro seguido de et al. (GILLE et al., 1960).

Citações de até 3 linhas vêm entre aspas, seguidas do nome do autor, data e página. Com mais de 3 linhas, vêm com recuo de 4 cm na margem esquerda, corpo menor (fonte 11pt) e sem aspas, também seguidas do nome do autor, data e página. As citações em língua estrangeira devem vir em itálico.

• Citação direta com mais de três linhas:

      Álvares de Azevedo incorporou em sua poesia, dessa forma, aquilo que já era moda entre os românticos europeus: a oposição entre a ordem natural e a transgressão social. Segundo Octavio Paz,

[...] Ainda que as paixões corporais ocupem um lugar central na grande literatura libertina do século XVIII, somente nos pré-românticos e nos românticos o corpo começa a falar. E a linguagem que fala é a linguagem dos sonhos, dos símbolos e das metáforas, numa estranha aliança do sagrado com o profano e do sublime com o obsceno (PAZ, 1984, p. 54).

• Citação direta com três linhas ou menos

      Essa “binomia” a que o próprio autor se refere no prefácio da segunda parte da Lira era um dos pressupostos da escola romântica, que valorizou o contraste entre o sublime e o grotesco, conforme teoria estabelecida por Victor Hugo. Segundo o crítico, “[...] o sublime sobre o sublime, dificilmente produz um contraste, e tem-se necessidade de descansar, até do belo” (HUGO, 1988, 31).

• Citação indireta

      Tem-se na paródia, como afirma Linda Hutcheon (1985), a manifestação textualizada da auto-referência, do nível metadiscursivo da criação literária.

Notas: colocadas no pé da página; as remissões para o rodapé devem ser feitas por números, na entrelinha superior.

Anexos: Só quando necessários.