Vol. 11, n. 1, 2016

TRAVESSIAS INTERATIVAS - VOLUME XI
1º SEMESTRE/2016

Para além de todas as paragens

O décimo primeiro volume (ou décima primeira travessia) organiza-se em torno de dez artigos que transitam pelos estudos literários e pelos estudos linguísticos, propondo reflexões teóricas – analíticas e comparatistas – no caso da literatura, e questões de teoria e aplicabilidade, no caso da linguística.

Abrimos a edição com a entrevista concedida pelo poeta Paulo Vieira à pesquisadora Cristiane Rodrigues de Souza (UFMS/Três Lagoas). Já em sua primeira publicação (2004), Vieira surge como voz poética marcante, atestada inclusive por Benedito Nunes, que o aproxima, a princípio, das experiências poéticas do primeiro tempo modernista brasileiro. O poeta fala sobre sua relação com a natureza (de todos os lugares e de lugar nenhum); a relação entre o ser-poeta, o ser-engenheiro (Vieira é formado em Engenharia Florestal e seguiu carreira acadêmica na literatura) e a música; a linguagem, a forma e a metáfora; o desejo e o sofrimento.

O primeiro artigo, de Antônio Donizeti Pires (UNESP/Araraquara), trata dos “Vestígios do Mundo Antigo em três épicos de Orfeu”, o que realiza apresentando criticamente as três epopeias Argonáuticas legadas pelo mundo antigo: a de Apolônio de Rodes (contexto helenístico; séc. III a. C.), a de Valério Flaco (contexto imperial romano, de restauração; séc. I. d. C.) e a considerada anônima (séc. IV d. C.). Já o artigo seguinte - "A apreensão lírica do real: variações sobre (alguma) poesia de Astrid Cabral" -, de Henrique Marques Samyn (UERJ/Rio de Janeiro), traz um estudo sobre a apreensão do real pela afetividade e pelo racional na poesia de Astrid Cabral. José Paulo Paes, também contemporâneo, é estudado em sua produção infantil, na sequência, por Marcos Pasche (UFRRJ/Seropédica), no texto intitulado “No reino sem rei: acerca da poesia criança de José Paulo Paes”. Leonardo Vicente Vivaldo, em ““Mitolorgias”: por dentre o Tempo e o Mito (Uma leitura de Poemas Reunidos de Geraldo Carneiro)”, analisa aspectos importantes da trajetória do poeta Geraldo Carneiro, através dos seus Poemas Reunidos, publicados em 2010.

Os três artigos seguintes fazem relação entre literatura e outras áreas. Em seu texto “Aspectos da Natureza e do Romantismo na filosofia de Schiller, Fichte e Schelling”, Alexandre de Melo Andrade (UFS/São Cristóvão) aproxima literatura e filosofia do Romantismo, principalmente no que se refere à natureza e à transcendência. Depois, Alberto Roiphe (UFS/São Cristóvão) realiza a leitura de um folheto de cordel de Josenir Lacerda, levando em conta aspectos verbais e visuais, no texto "Por um fio: Palavra e Imagem conectadas pelo cordel". Matheus Marques Nunes (UNIP/Ribeirão Preto) faz uma aproximação entre o conto “O sedutor”, de Raul Fiker, e o romance Lord Jim, de Joseph Conrad, estreitando relações entre literatura, filosofia e sociologia, no artigo que se intitula “José Bonifácio e Lord Jim: os caminhantes solitários”.

Em "A ironia e a distorção reveladora em A visita de Sua Excelência, de Luiz Francisco Rebello", Milca Tscherne (UNESA/Rio de Janeiro) faz um estudo da ironia presente na peça A visita de Sua Excelência, considerada “farsa catastrófica”, do português Luiz Francisco Rebello. A relação palavra-imagem e a mixagem de diferentes linguagens nos meios digitais são questões centrais do próximo artigo – “Para além das fronteiras entre palavra e imagem numa cultura digital” –, de Luís Cláudio Dallier Saldanha (UNESA/Rio de Janeiro). Finalizando este volume, Flávia Danielle Sordi Silva Miranda (UNICAMP) discute as novas tecnologias nos meios digitais disponíveis para publicação de artigos científicos, levando em conta aspectos da Linguística Aplicada.

Agradecemos aos autores pela disponibilidade e pelo trabalho de qualidade empenhado nos textos. Temos a certeza de que cada contribuição, aqui, corresponde a uma paragem que ressignifica toda a paisagem imposta pela travessia.

Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade (UFS/São Cristóvão)
Prof. Me. Leonardo Vicente Vivaldo (UNESP/Araraquara; AFARP/Rib. Preto)
Profa. Dra. Valéria Castrequini (AFARP/Rib. Preto)

(Editores)

 


AUTOR CONVIDADO

ENTREVISTA COM PAULO VIEIRA

- Cristiane Rodrigues de SOUZA

 


Vestígios do Mundo Antigo em três épicos de Orfeu

Ancient world remains in three epics of Orpheus

- Antônio Donizeti PIRES

 

RESUMO: Orfeu (o mais importante poeta lendário antigo) é dos mitos mais fascinantes do panteão grego, além de ser considerado fundador do culto de mistérios que leva seu nome (Orfismo). O arcabouço narrativo do mito perfaz-se em quatro mitemas: a) a participação de Orfeu na viagem dos Argonautas; b) seu amor pela ninfa Eurídice, que logo lhe é arrebatada pela morte; c) sua catábase ao Hades, aonde vai para resgatar a esposa dos mortos: ele o consegue, mas ao olhar para trás infringe a proibição dos reis infernais e perde Eurídice definitivamente; d) a própria morte violenta de Orfeu, dilacerado pelas furiosas bacantes da Trácia. Aos quatro mitemas, soma-se o atributo geral do Vate portador da lira, cujo canto aliciante comovia e demovia animais, pedras e árvores, mas também homens e deuses. Orfeu, por isto, seria um herói civilizador mais afeito à pólis (e não autor de façanhas grandiosas como Héracles ou Teseu), pois ensina pelo poder e pela sabedoria do canto (música e poesia unidas, fundamentais na educação grega). O caráter civilizador de Orfeu transparece nos quatro mitemas (o primeiro é vincadamente épico; os outros três são lírico-dramáticos, conforme a riquíssima tradição artístico-literária que engendraram). Para o momento, pretende-se apresentar criticamente as três epopeias Argonáuticas legadas pelo mundo antigo: a de Apolônio de Rodes (contexto helenístico; séc. III a. C.), a de Valério Flaco (contexto imperial romano, de restauração; séc. I. d. C.) e a considerada anônima (séc. IV d. C.), estudando-as numa perspectiva comparativa que problematize história e religião, mito (Orfeu) e sociedade, literatura e filosofia.

PALAVRAS-CHAVE: poesia épica. história antiga. mitologia. orfismo. filosofia antiga.


A apreensão lírica do real: variações sobre (alguma) poesia de Astrid Cabral

The lyric apprehension of reality: variations on (some) poetry by Astrid Cabral

- Henrique Marques SAMYN

 

RESUMO: Este ensaio propõe uma interpretação da poesia de Astrid Cabral, analisando como as esferas racional e afetiva são concebidas como complementares no que tange à apreensão do real pela subjetividade.

PALAVRAS-CHAVE: Astrid Cabral. poesia brasileira. subjetividade. poética.


No reino sem rei: acerca da poesia criança de José Paulo Paes

At the kingdom without king: about the childlike poetry of José Paulo Paes

- Marcos PASCHE

 

RESUMO: Este artigo estuda a poesia infantil de José Paulo Paes em todos os livros do gênero por ele publicados. No percurso interpretativo, serão destacadas as linhas de força dessa vertente da produção literária do autor, com a qual ele alcançou grande êxito em termos de realização e de reconhecimento.

PALAVRAS-CHAVE: poesia brasileira. José Paulo Paes. poesia infantil.

KEYWORDS: poesia brasileira. José Paulo P


"Mitolorgias": por dentre o Tempo e o Mito (Uma leitura de Poemas Reunidos de Geraldo Carneiro

"Mythorgy": within the Time and the Mith (a reading of Poemas Reunidos by Geraldo Carneiro

- Leonardo Vicente VIVALDO

 

RESUMO: A publicação de Poemas reunidos (2010), de Geraldo Eduardo Carneiro, veio para englobar os mais de 36 anos de uma poesia notadamente marcada pelo bom humor e pela ironia – mas que nunca impediu a reflexão. Sendo assim, e considerando que Poemas reunidos já é o resultado de todo um “percurso poético”, não é estranho supor pistas duma Poética – algo que nada tem a ver, necessariamente, com um projeto consciente do poeta, mas, apenas, a evidência de que certas marcas temático-estruturais, com o passar do tempo, acabam ficando cada vez mais nítidas e fortes. Desta forma, ainda que Poemas reunidos deixe tais marcas menos perceptíveis através de sua estruturação, disposta do último para o primeiro livro de Carneiro, é justamente pela inerente concepção mítica do Tempo – que o ritual poético evoca – e das reminiscências de várias imagens e poetas que se fundaria uma possível poética carneiriana: é, pois, pelo Tempo que o Mito e o Homem se (con)fundem, reatualizando aqueles e perpetrando esses, através duma assonância ideal pela figura do poeta por excelência: Orfeu – além de outras tantas figuras mitológicas ou mesmo com tudo isso junto. Em suma: verdadeira “mitolorgia”.

PALAVRAS-CHAVE: poesia brasileira contemporânea. Tempo e Mito. Orfeu. Geraldo Carneiro.


Aspectos da Natureza e do Romantismo na filosofia de Schiller, Fichte e Schelling

Aspects of Nature and Romanticism in the philosophy of Schiller, Fichte and Schelling

- Alexandre de Melo ANDRADE

 

RESUMO: A filosofia do Romantismo alemão teve profundas ressonâncias na literatura, e sua compreensão nos leva a desvendar aspectos caros à produção romântica, como a abordagem da natureza, a transcendência e a liberdade. Este artigo discute, em linhas gerais, o pensamento de três grandes filósofos alemães – F. Schiller, J. G. Fichte e F. W. J. Schelling –, mapeando algumas de suas principais contribuições para o Romantismo.

PALAVRAS-CHAVE: Romantismo. Filosofia. Natureza. Transcendência.


Por um fio: Palavra e Imagem conectadas pelo cordel

By a thread: Word and Image connected by cordel

- Alberto ROIPHE

 

RESUMO: O propósito do artigo é a leitura, tanto da linguagem verbal, quanto da linguagem visual, de um folheto de cordel de autoria da poetisa Josenir Lacerda, tendo como fundamentação teórica os textos “Retórica da imagem”, de Roland Barthes, e “Retórica da imagem publicitária”, de Jacques Durand.

PALAVRAS-CHAVE: leitura verbo-visual. literatura de cordel. xilogravura.


José Bonifácio e Lord Jim: os caminhantes solitários

José Bonifácio and Lord Jim: lone hikers

- Matheus Marques NUNES

 

RESUMO: O artigo analisa o conto intitulado “O sedutor”, do filósofo e escritor Raul Fiker. Destacamos a forte imagem do caminhar errante com a nossa própria precariedade existencial. Para estabelecer a importância deste percurso existencial estabelecemos uma aproximação do conto “O sedutor” com o romance Lord Jim, de Joseph Conrad.

PALAVRAS-CHAVE: Raul Fiker: O sedutor. caminhar. Lord Jim.


A ironia e a distorção reveladora em A visita de Sua Excelência, de Luiz Francisco Rebello

The irony and the revealing in A visita da Sua Excelência, by Luiz Francisco Rebello

- Milca TSCHERNE

 

RESUMO: O intuito deste artigo é elucidar a função da ironia na peça A visita de Sua Excelência (1962-65), do dramaturgo português Luis Francisco Rebello (1924-2011). Esta pequena peça integra um conjunto razoável de composições de Rebello escritas em ato único, mas traz o ineditismo na especificação. Trata-se de uma ‘farsa catastrófica’, que requesta a reflexão sobre a semântica da sua forma como, aliás, acontece com todas as peças do teatro de Luiz Francisco Rebello, cujas classificações são tão variadas quanto as formas dramáticas que ostentam.

PALAVRAS-CHAVE: teatro português. drama moderno. Luiz Francisco Rebello. farsa.


Para além das fronteiras entre palavra e imagem numa cultura digital

Well beyond the frontiers between and image in a digital culture

- Luís Cláudio Dallier SALDANHA

 

RESUMO: Este artigo se propõe a questionar os riscos atribuídos à linguagem visual no processo de formação, problematizar a relação entre imagem e palavra na perspectiva do ultrapassamento de suas fronteiras e considerar algumas possibilidades na articulação ou mixagem de diferentes linguagens nos meios digitais. Para isso, são apresentados alguns aspectos da histórica relação entre palavra e imagem; as implicações da diluição de fronteiras entre signo verbal e signo visual em poéticas vanguardistas; e os desafios da leitura ou navegação nos meios digitais para a formação cultural.

PALAVRAS-CHAVE: imagem. linguagem verbal. mídias digitais.


Interseções entre novos modelos de apresentação de artigos científicos e letramentos acadêmicos

Intersections between new models of papers presentation and an academic literacies

- Flávia Danielle Sordi Silva MIRANDA

 

RESUMO: Neste artigo busco discutir, sob a luz do campo teórico-epistemológico dos Letramentos Acadêmicos, sobre implicações de tecnologias digitais para modelos de apresentação de artigos científicos nos últimos anos. Trata-se de suscitar reflexões sobre possíveis interseções entre novas formas de publicação e a esfera acadêmica, considerando quais elementos seriam necessários de se trazer à tona a partir de uma visão sociocultural dos letramentos. Para tanto, focalizo a discussão na área da Linguística Aplicada.

PALAVRAS-CHAVE: artigos científicos. novos modelos de apresentação. tecnologias digitais.