Vol. 4, n. 2, 2012

TRAVESSIAS INTERATIVAS – VOLUME IV
2º SEMESTRE/2012
NOVAS TRAVESSIAS...

(Editorial)

A Revista de Letras Travessias Interativas chega à sua quarta edição, que consta de sete artigos, uma resenha e uma entrevista.

Abrindo a edição, há uma entrevista com a poeta Cristiane Rodrigues de Souza concedida a Alexandre de Melo Andrade. A autora comenta questões ligadas à produção poética de modo geral e, em particular, tece comentários sobre sua obra O Dragoeiro, publicada em 2012.

O primeiro artigo, intitulado “Tessituras de histórias em As visitas do Dr. Valdez”, de Mágna Tânia Secchi Pierini (UNESP/Araraquara), faz uma leitura da obra citada, do autor João Paulo Borges Coelho, tratando de questões referentes a representação, cultura africana, tempo e narratividade. O segundo artigo – “Entre o mythos e o logos: espaço e medo em Mia Couto” –, de Jacob dos Santos Biziak (UNESP/Araraquara) analisa aspectos ligados à modernidade artística e ao enfrentamento entre o espaço “civilizado” e o espaço mítico. O artigo seguinte, de Ana Carolina Bianco Amaral (UNESP/São José do Rio Preto), “A loucura do século XIX: o fantástico e o leitor implícito em ‘O coração denunciador’ e em ‘ O Horla’”, traz uma análise interpretativa – via Todorov – dos dois contos apontados pelo título, de Edgar Allan Poe e Maupassant, respectivamente. Já o próximo artigo, inserido em abordagem linguística, intitulado “Mulheres cristãs em Visão Missionária: uma análise discursiva”, de Daiane Rodrigues de Oliveira (UNICAMP), apresenta uma análise discursiva da revista “Visão Missionária”, intentando compreender, nela, a representação da mulher.

Os três artigos seguintes são de Iniciação Científica. O primeiro, de Marcos Vinícius de Carvalho Terra (UNIESP/Ribeirão Preto) – “A duplicidade da alma humana numa perspectiva machadiana” –, sob a orientação do Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade, trata de uma leitura do conto “O espelho”, de Machado de Assis, desvelando sentidos impostos pelo autor na construção do personagem protagonista. Na sequência, aparece o artigo “O gênero discursivo fábula: um estudo na perspectiva bakhtiniana”, de Brennda Valléria do Rosário (UFPA/Castanhal), com orientação da Profa. Doutoranda Márcia Cristina Greco Ohuschi; partindo de “Os dois castores”, de Esopo, a autora investiga questões referentes ao gênero “fábula” e à sua aplicabilidade no processo de aprendizagem. Por último, temos o artigo “Literatura irlandesa: patrimônio cultural”, de Claudia Parra (UNIESP/Sertãozinho), sob orientação da Profa. Dra. Adriana C. Capuchinho, que apresenta, de modo geral, aspectos marcantes da literatura irlandesa, por meio de um percurso histórico.

A revista ainda consta de uma resenha, de Jayme Ferreira Bueno (UFPR/PUCPR), sobre a obra O Dragoeiro, de Cristiane Rodrigues de Souza, publicada em 2012.

Fica aqui o nosso agradecimento a todos os que colaboraram para esta edição, seja enviando artigos ou avaliando os mesmos. Que estas novas travessias contribuam para o conhecimento e o enriquecimento crítico dos leitores.

Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade
(Editor da Revista Travessias Interativas)

 


AUTOR CONVIDADO

ENTREVISTA COM CRISTIANE RODRIGUES DE SOUZA

- Por: Alexandre de Melo Andrade

 


TESSITURAS DE HISTÓRIAS EM AS VISITAS DO DR. VALDEZ

STORIES’ TEXTURES IN AS VISITAS DO DR. VALDEZ

- Mágna Tânia Secchi PIERINI

 

RESUMO: Este artigo visa apresentar uma leitura da obra As visitas do Dr. Valdez, de João Paulo Borges Coelho, partindo da consideração de que há dois eixos norteadores nesse romance: a construção da identidade moçambicana e a representação de Dr. Valdez. Esses eixos ligam-se pela intercalação do tempo narrativo e da memória. Pretendemos apontar que essa prosa se desenrola por meio de uma tessitura de histórias ficcionais, reais, passadas e presentes que se coadunam na circularidade do tempo, da narrativa e da concepção de vida, no seio da tradição cultural africana.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura africana. As visitas do Dr. Valdez. Moçambique. Identidade. Representação.


ENTRE O MYTHOS E O LOGOS: ESPAÇO E MEDO EM MIA COUTO

BETWEEN MYTHOS AND OLOGOS: SPACE AND FEAR IN MIA COUTO

- Jacob dos Santos BIZIAK

 

RESUMO: O objetivo deste artigo é apresentar reflexões sobre o entrelaçamento entre dois eixos básicos: a reconsideração da representação artística na modernidade e do significado do medo em certo contexto literário: no caso, um romance de Mia Couto. Na verdade, o medo, em tal obra, surge como uma maneira de construir um personagem perdido entre sua visão da cidade – marcada pelo logocentrismo –e o de sua aldeia natal – marcada pelo mítico. Assim, a recuperação de uma identidade compreende um trânsito entre duas mundivivências.

PALAVRAS-CHAVE: representação. medo. espaço. Mia Couto.


A LOUCURA DO SÉCULO XIX: O FANTÁSTICO E O LEITOR IMPLÍCITO EM “O CORAÇÃO DENUNCIADOR” E EM “O HORLA”

THE MADNESS OF THE NINETEENTH CENTURY: THE FANTASTIC AND THE IMPLIED READER IN “O CORAÇÃO DENUNCIADOR” AND “O HORLA”

- Ana Carolina Bianco AMARAL

 

RESUMO: O tema da loucura na literatura fantástica é vigente nas narrativas do século XIX. Em os contos “O coração denunciador”, de Edgar Allan Poe e em “O Horla”, de Maupassant, a instabilidade mental é revelada, por vezes, por meio do comportamento dos personagens centrais. O presente trabalho destacará os pontos narrativos que revelam duas tensões: de um lado, a possibilidade da loucura do narrador em primeira pessoa, e do outro, a aparição de um elemento sobrenatural na diegese. Utilizaremos a teoria proposta por Todorov para salientar a maneira pela qual o leitor implícito pode preencher as lacunas textuais desses contos, as quais podem manipular a interpretação.

PALAVRAS-CHAVE: Fantástico. Loucura. O coração denunciador. O Horla.


Mulheres cristãs em Visão Missionária: Uma análise discursiva

Christian women in Visão Missionária: A discursive analysis

- Daiane Rodrigues de OLIVEIRA

 

RESUMO: A revista Visão Missionária é uma publicação da União Feminina Missionária do Brasil, a qual ensina a mulher batista como exercer suas diferentes funções cotidianas como cristã. O objetivo deste artigo é discutir como a revista representa a mulher batista em suas funções de esposa e profissional. Este trabalho fundamenta-se na noção de Semântica Global proposta por Maingueneau.

PALAVRAS-CHAVE: Análise do discurso. Discurso religioso. Feminino. Protestantismo. Semântica global.


Iniciação Científica

A DUPLICIDADE DA ALMA HUMANA NUMA PERSPECTIVA MACHADIANA

THE DUPLICITY OF THE HUMAN SOUL IN A PERSPECTIVE OF MACHADO DE ASSIS

- Marcos Vinícius de Carvalho TERRA

 

RESUMO: Este artigo tem como finalidade analisar a duplicidade humana através de Jacobina, criação de Machado de Assis, sob um olhar psicológico. O personagem vive um conflito gerado por uma forte oposição (aparência versus essência), o qual é de extrema relevância para se entender de forma significativa a produção do escritor brasileiro. Além disso, será explorada a influência do filósofo alemão Arthur Schopenhauer no conto O Espelho. O pessimismo, característica marcante da segunda fase de produção do contista, também está presente no enredo em questão, além de ser um aspecto indispensável para um exame minucioso da trama.

PALAVRAS-CHAVE: Machado de Assis. conto. espelho. aparência. essência.


O GÊNERO DISCURSIVO FÁBULA: UM ESTUDO NA PERSPECTIVA BAKHTINIANA

THE FABLE GENRE: A STUDY IN BAKHTINHIANA PERSPECTIVE

- Brennda Valléria do Rosário FREIRE

 

RESUMO: Este artigo é parte de um trabalho maior, no qual buscamos refletir sobre o emprego dos gêneros discursivos nas práticas escolares do ensino básico. Desse modo, o objetivo geral deste artigo centra-se na reflexão sobre o contexto de produção e os elementos constitutivos do gênero fábula, visando à sua abordagem em sala de aula. Para tanto, à luz da perspectiva bakhtiniana, analisamos a fábula Os dois castores, atribuída a Esopo, com o intuito de verificar o que este texto pode oferecer ao trabalho escolar. Como resultado desta pesquisa, entendemos que o gênero em questão é muito produtivo para o ensino de Língua Materna, pois, além de contribuir para a formação do leitor crítico, por meio do debate propiciado pelo cunho moralista, é repleto de elementos linguísticos que podem ser explorados pelos professores, para desenvolver as habilidades cognitivas do aluno. Esperamos, com isso, implicar na formação do professor e nas demais investigações no campo da Linguística Aplicada.

PALAVRAS-CHAVE: Gêneros discursivos. Fábulas. Ensino e aprendizagem.


LITERATURA IRLANDESA: PATRIMÔNIO CULTURAL

IRISH LITERATURE: CULTURAL PROPERTY

- Cláudia PARRA

 

RESUMO: A literatura produzida na Irlanda foi e continua sendo, até os dias de hoje, um grande marco na história do país. A importância das obras literárias irlandesas e sua tradição ultrapassam o reconhecimento nacional, estendendo-se por todo continente europeu, firmando-se como parte fundamental de toda literatura produzida na Europa. A contribuição exercida pela literatura irlandesa no cenário mundial é, desproporcionalmente, maior que o espaço geográfico ocupado pelo próprio país, uma pequena ilha da Europa. A diversidade e importância da literatura irlandesa têm, ao longo dos tempos, interessado estudiosos de todas as partes do mundo. Esse artigo tem como objetivo apresentar a literatura irlandesa em suas fases de acordo com seus respectivos períodos históricos e proporcionar o acesso à história dessa literatura no idioma português, visto que a maior parte das fontes de informação para esse objeto de estudo encontram-se escritas inglês.

PALAVRAS-CHAVE: Irlanda. literatura irlandesa. historiografia literária.


Resenha

O DRAGOEIRO, DE CRISTIANE RODRIGUES DE SOUZA

- Jayme Ferreira Bueno (UFPR/PUCPR)